Democracia da têta, digo, da treta

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Democracia da têta, digo, da treta

Mensagem  XUXA em Seg 23 Ago 2010 - 18:31

Que fique a constar para quem não sabe e, até, por questões de justiça democrática.


A Lei 2105
( de António de Oliveira SALAZAR)


Acabemos de vez com este desbragamento, este verdadeiro insulto à dignidade de quem trabalha para conseguir atingir a meta de pagar as contas no fim do mês.
Corria o ano de 1960 quando foi publicada no "Diário do Governo" de 6 de Junho a Lei 2105, com a assinatura de Américo Tomaz, Presidente da República, e do Presidente do Conselho de Ministros, Oliveira Salazar.
Conforme nos descreve Pedro Jorge de Castro no seu livro "Salazar e os milionários", publicado pela Quetzal em 2009, essa lei destinou-se a disciplinar e moralizar as remunerações recebidas pelos gestores do Estado, fosse em que tipo de estabelecimentos fosse. Eram abrangidos os organismos estatais, as empresas concessionárias de serviços públicos onde o Estado tivesse participação accionista, ou ainda aquelas que usufruíssem de financiamentos públicos ou "que explorassem actividades em regime de exclusivo". Não escapava nada onde houvesse investimento do dinheiro dos contribuintes.

E que dizia, em resumo, a Lei 2105?
Dizia que ninguém que ocupasse esses lugares de responsabilidade pública podia ganhar mais do que um Ministro. Claro que muitos empresários andaram logo a espiolhar as falhas e os buraquinhos por onde a 2105 pudesse ser torneada, o que terão de certo modo conseguido devido à redacção do diploma, que permitia aos administradores, segundo transcreve o autor do livro, "receber ainda importâncias até ao limite estabelecido, se aos empregados e trabalhadores da empresa for atribuída participação nos lucros".
A publicação desta lei altamente moralizadora ocorreu no Estado Novo de Salazar, vai dentro de 2 meses fazer 50 anos. Catorze anos depois desta lei "fascista", em 13 de Setembro de 1974 (e seguindo sempre o que nos explica o livro de Pedro Castro), o Governo de Vasco Gonçalves, recém-saído do 25 de Abril, pegou na ambiguidade da Lei 2105 e, através do Decreto Lei 446/74, limitou os vencimentos dos gestores públicos e semi-públicos ao salário máximo de 1,5 vezes o vencimento de um Secretário de Estado. Vendo bem, Vasco Gonçalves, Silva Lopes e Rui Vilar, quando assinaram o 446/74, passaram simplesmente os vencimentos dos gestores do Estado do dobro do que ganhava um Ministro para uma vez e meia do que ganhava um Secretário de Estado.
O Decreto- Lei justificava a correcção pelo facto da redacção pouco precisa da 2105 permitir "interpretações abusivas" permitindo "elevados vencimentos e não menos excessivas pensões de reforma". Ao lermos esta legislação hoje, dá a impressão que se mudou, não de país, mas de planeta, porque isto era no tempo do "fascismo" (Lei 2105) ou do "comunismo" (Dec. Lei 446/74). Agora, é tudo muito melhor, sobretudo para os reis da fartazana que são os gestores do Estado dos nossos dias.
Não admira, porque mudando-se os tempos, mudam-se as vontades, e onde o sector do Estado pesava 17% do PIB no auge da guerra colonial, com todas as suas brutais despesas, pesa agora 50%. E, como todos sabemos, é preciso gente muito competente e soberanamente bem paga para gerir os nossos dinheirinhos.


Tão bem paga é essa gente que o homem que preside aos destinos da TAP, Fernando Pinto, que é o campeão dos salários de empresas públicas em Portugal (se fosse no Brasil, de onde veio, o problema não era nosso) ganha a monstruosidade de 420.000 euros por mês, um "pouco" mais que Henrique Granadeiro, o presidente da PT, o qual aufere a módica quantia de 365.000 mensais.
Aliás, estes dois são apenas o topo de uma imensa corte de gente que come e dorme à sombra do orçamento e do sacrifício dos contribuintes, como se pode ver pela lista divulgada recentemente por um jornal semanário, onde vêm nomes sonantes da nossa praça, dignos representantes do despautério e da pouca vergonha a que chegou a vida pública portuguesa.

Assim - e seguindo sempre a linha do que foi publicado - conhecem-se 14 gestores públicos que ganham mais de 100.000 euros por mês, dos quais 10 vencem mais de 200.000. O ex-governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, o mesmo que estima à centésima o valor do défice português, embora nunca tenha acertado no seu valor real, ganhava 250.000 euros/mês, antes de ir para o exílio dourado de Vice-Presidente do Banco Central Europeu.

Não averiguei quanto irá vencer pela Europa, mas quase aposto que não será tanto como ganhava aqui na Santa terra lusitana. Entretanto, para poupar uns 400 milhões nas deficitárias contas do Estado, o governo não hesita em cortar benefícios fiscais a pessoas que ganham por mês um centésimo, ou mesmo 200 e 300 vezes menos que os homens (porque, curiosamente, são todos homens...) da lista dourada que o "Sol" deu à luz há pouco tempo.
Curioso é também comparar este valores salariais com os que vemos pagar a personalidades mundiais como o Presidente e o Vice-Presidente dos EUA, os Presidentes da França, da Rússia, e...de Portugal.
Acabemos de vez com este desbragamento, este verdadeiro insulto à dignidade de quem trabalha para conseguir atingir a meta de pagar as contas no fim do mês.
Não é preciso muito, nem sequer é preciso ir tão longe como o DL 446 de Vasco Gonçalves, Silva Lopes e Rui Vilar:

Basta ressuscitar a velhinha, mas pelos vistos revolucionária Lei 2105, assinada há 50 anos por Oliveira Salazar.


AFINAL QUEM SÃO OS FASCISTAS ?.

XUXA
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

País rico!

Mensagem  Transparente em Qua 25 Ago 2010 - 18:23

XUXA escreveu:Que fique a constar para quem não sabe e, até, por questões de justiça democrática.


A Lei 2105
( de António de Oliveira SALAZAR)


Acabemos de vez com este desbragamento, este verdadeiro insulto à dignidade de quem trabalha para conseguir atingir a meta de pagar as contas no fim do mês.
Corria o ano de 1960 quando foi publicada no "Diário do Governo" de 6 de Junho a Lei 2105, com a assinatura de Américo Tomaz, Presidente da República, e do Presidente do Conselho de Ministros, Oliveira Salazar.
Conforme nos descreve Pedro Jorge de Castro no seu livro "Salazar e os milionários", publicado pela Quetzal em 2009, essa lei destinou-se a disciplinar e moralizar as remunerações recebidas pelos gestores do Estado, fosse em que tipo de estabelecimentos fosse. Eram abrangidos os organismos estatais, as empresas concessionárias de serviços públicos onde o Estado tivesse participação accionista, ou ainda aquelas que usufruíssem de financiamentos públicos ou "que explorassem actividades em regime de exclusivo". Não escapava nada onde houvesse investimento do dinheiro dos contribuintes.

E que dizia, em resumo, a Lei 2105?
Dizia que ninguém que ocupasse esses lugares de responsabilidade pública podia ganhar mais do que um Ministro. Claro que muitos empresários andaram logo a espiolhar as falhas e os buraquinhos por onde a 2105 pudesse ser torneada, o que terão de certo modo conseguido devido à redacção do diploma, que permitia aos administradores, segundo transcreve o autor do livro, "receber ainda importâncias até ao limite estabelecido, se aos empregados e trabalhadores da empresa for atribuída participação nos lucros".
A publicação desta lei altamente moralizadora ocorreu no Estado Novo de Salazar, vai dentro de 2 meses fazer 50 anos. Catorze anos depois desta lei "fascista", em 13 de Setembro de 1974 (e seguindo sempre o que nos explica o livro de Pedro Castro), o Governo de Vasco Gonçalves, recém-saído do 25 de Abril, pegou na ambiguidade da Lei 2105 e, através do Decreto Lei 446/74, limitou os vencimentos dos gestores públicos e semi-públicos ao salário máximo de 1,5 vezes o vencimento de um Secretário de Estado. Vendo bem, Vasco Gonçalves, Silva Lopes e Rui Vilar, quando assinaram o 446/74, passaram simplesmente os vencimentos dos gestores do Estado do dobro do que ganhava um Ministro para uma vez e meia do que ganhava um Secretário de Estado.
O Decreto- Lei justificava a correcção pelo facto da redacção pouco precisa da 2105 permitir "interpretações abusivas" permitindo "elevados vencimentos e não menos excessivas pensões de reforma". Ao lermos esta legislação hoje, dá a impressão que se mudou, não de país, mas de planeta, porque isto era no tempo do "fascismo" (Lei 2105) ou do "comunismo" (Dec. Lei 446/74). Agora, é tudo muito melhor, sobretudo para os reis da fartazana que são os gestores do Estado dos nossos dias.
Não admira, porque mudando-se os tempos, mudam-se as vontades, e onde o sector do Estado pesava 17% do PIB no auge da guerra colonial, com todas as suas brutais despesas, pesa agora 50%. E, como todos sabemos, é preciso gente muito competente e soberanamente bem paga para gerir os nossos dinheirinhos.


Tão bem paga é essa gente que o homem que preside aos destinos da TAP, Fernando Pinto, que é o campeão dos salários de empresas públicas em Portugal (se fosse no Brasil, de onde veio, o problema não era nosso) ganha a monstruosidade de 420.000 euros por mês, um "pouco" mais que Henrique Granadeiro, o presidente da PT, o qual aufere a módica quantia de 365.000 mensais.
Aliás, estes dois são apenas o topo de uma imensa corte de gente que come e dorme à sombra do orçamento e do sacrifício dos contribuintes, como se pode ver pela lista divulgada recentemente por um jornal semanário, onde vêm nomes sonantes da nossa praça, dignos representantes do despautério e da pouca vergonha a que chegou a vida pública portuguesa.

Assim - e seguindo sempre a linha do que foi publicado - conhecem-se 14 gestores públicos que ganham mais de 100.000 euros por mês, dos quais 10 vencem mais de 200.000. O ex-governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, o mesmo que estima à centésima o valor do défice português, embora nunca tenha acertado no seu valor real, ganhava 250.000 euros/mês, antes de ir para o exílio dourado de Vice-Presidente do Banco Central Europeu.

Não averiguei quanto irá vencer pela Europa, mas quase aposto que não será tanto como ganhava aqui na Santa terra lusitana. Entretanto, para poupar uns 400 milhões nas deficitárias contas do Estado, o governo não hesita em cortar benefícios fiscais a pessoas que ganham por mês um centésimo, ou mesmo 200 e 300 vezes menos que os homens (porque, curiosamente, são todos homens...) da lista dourada que o "Sol" deu à luz há pouco tempo.
Curioso é também comparar este valores salariais com os que vemos pagar a personalidades mundiais como o Presidente e o Vice-Presidente dos EUA, os Presidentes da França, da Rússia, e...de Portugal.
Acabemos de vez com este desbragamento, este verdadeiro insulto à dignidade de quem trabalha para conseguir atingir a meta de pagar as contas no fim do mês.
Não é preciso muito, nem sequer é preciso ir tão longe como o DL 446 de Vasco Gonçalves, Silva Lopes e Rui Vilar:

Basta ressuscitar a velhinha, mas pelos vistos revolucionária Lei 2105, assinada há 50 anos por Oliveira Salazar.


AFINAL QUEM SÃO OS FASCISTAS ?.


Os meus Parabéns pela coragem de transcrever estas verdades para este Fórum!

Os Governos, e os eleitors, continuem a permitir estes escândalos...e depois não se admirem que apareçam ditadores...
avatar
Transparente

Mensagens : 127
Data de inscrição : 24/05/2009
Idade : 76
Localização : MELRES _ Entre o Douro e a Serra de ...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Democracia da têta, digo, da treta

Mensagem  XUXA em Seg 6 Set 2010 - 21:18

Sou de esquerda, mas nada tenho a ver com estes bandalhos oportunistas. Como tal e sempre que tenha conhecimento de coisas destas porei a boca no trombone !!! Aí vai !!!

ue "Estado/Povo/País", é este, que permite estas ANORMALIDADES ??????????????



Aí está mais um exemplo da ética republicana e de como os "esquerdelhos" são iguais em género e número aos da direita "fascista". Concordo: "olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço".

Dixit!
Mãe de Louça, 79 anos, Assessora da Assembleia da República

(" FAZ O QUE EU DIGO, NÃO FAÇAS O QUE EU FAÇO ... ")


Este está sempre a falar em boys !!!

Até para a mãe com 79 anos arranjou um tacho. E que tacho!!!

e) - FRANCISCO ANACLETO LOUÇÃ, de 49 anos de idade, portador do Bilhete de Identidade nº 4711887, emitido pelo Arquivo de Identificação de Lisboa em 6 de Abril de 1998, filho de António Seixas Louçã e de Noémia da Rocha Neves Anacleto Louçã, solteiro, professor universitário, natural de São Sebastião da Pedreira, Lisboa e residente na Avenida Duque de Loulé nº 105, 1º, Lisboa;
Despacho (extracto) n.º 5296/2010
Assembleia da República - Secretário-Geral
Nomeação da licenciada Noémia da Rocha Neves Anacleto Louçã para a categoria de assessora do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda


Digamos que se trata de uma jovem senhora com 79 anos uma bonita idade para ser nomeada para a AR.

XUXA
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Democracia da têta, digo, da treta

Mensagem  Tono em Seg 6 Set 2010 - 21:33

Ui que trombone! O Fórum de Melres...audiências apenas comparadas com as do Big Brother - 1.ª Edição ou o Portugal-França do Euro 2000...que ridículo Xuxa. Vai mas é trabalhar oara a mina em vez de andares aqui a a mandar bocas foleiras e mentirosas. Como se Louçã e a sua mae precisassem de tachos destes. Outros(as) existem que precisariam bem mais dum tacho assim para sobreviver... Very Happy Very Happy Very Happy

Tono
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ler é importante

Mensagem  ler em Seg 6 Set 2010 - 21:46

Hoje em dia não é difícil aceder à informação fidedigna, em vez de nos ficarmos pelas bocas.
Pelo que leio no Despacho, a senhora não aufere qualquer remuneração.


Onde está o escândalo? Só se fôr na idade.

ler
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Democracia da têta, digo, da treta

Mensagem  XUXA em Qua 15 Set 2010 - 22:12

Bento XVI no Reino Unido

Bilhetes são "contribuições económicas", segundo Igreja católica inglesa (SAPO)
Missas com bilhetes pagos, t-shirts com a imagem do Papa e até bonés de basebol: a Igreja católica colocou em andamento a sua máquina de marketing para financiar a visita de Bento XVI ao Reino Unido diante das reticências dos contribuintes britânicos em arcar com as despesas.

Por muito mal que se diga dos ingleses teremos de reconhecer que estamos, em termos de cidadania/vivência democrática, a anos-luz daquele povo !!! Reconheço, embora, que não estarão, os ingleses, a "investir" para colherem no céu !!! Ao passo que nós temo-la assegurada-(colheita)- !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

XUXA
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Democracia da têta, digo, da treta

Mensagem  XUXA em Sex 8 Out 2010 - 17:20

[i][b]Julgo que as pessoas deverão ter conhecimento destas coisas, pelo que me sinto na obrigação de as divulgar. Sou defensor de um socialismo democrático, fraterno e solidário, mas, onde se combata o oportunismo e a ganância !!!
PORQUE

ESTAMOS A FALIR!!!

VALORES MENSAIS!!!


420.000,00 €TAPadministradorFernando Pinto
371.000,00 €CGDadministradorFaria de Oliveira
365.000,00 €PTadministradorHenrique Granadeiro
250.040,00 €RTPadministradorGuilherme Costa
249.448,00 €Banco PortugaladministradorVítor Constâncio
247.938,00 €ISPadministradorFernando Nogueira
245.552,00 €CMVMPresidenteCarlos Tavares
233.857,00 €ERSEadministradorVítor Santos
224.000,00 €ANA COMadministradorAmado da Silva
200.200,00 €CTTPresidenteMata da Costa
134.197,00 €ParpublicaadministradorJosé Plácido Reis
133.000,00 €ANAadministradorGuilhermino Rodrigues
126.686,00 €ADPadministradorPedro Serra
96.507,00 €Metro PortoadministradorAntónio Oliveira Fonseca
89.299,00 €LUSAadministradorAfonso Camões
69.110,00 €CPadministradorCardoso dos Reis
66.536,00 €REFERadministradorLuís Pardal: Refer
66.536,00 €Metro LisboaadministradorJoaquim Reis
58.865,00 €CARRISadministradorJosé Manuel Rodrigues
58.859,00 €STCPadministradorFernanda Meneses
3.706.630,00 €

51.892.820,00 €Valor do ordenado anual (12 meses + subs Natal + subs férias)
926.657,50 €Média Prémios
52.819.477,50 €

900,00 €Média de um funcionário público

58.688,31 - nº de funcionários públicos que dá para pagar com o mesmo dinheiro


EU NÃO ABDICO DO SUBSÍDIO DE FÉRIAS E/OU NATAL PARA AJUDAR O PAÍS...

XUXA
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Democracia da têta, digo, da treta

Mensagem  Xuxa em Qua 3 Nov 2010 - 22:18

9 . 7 1 0 . 5 3 9 . 9 4 0 , 0 9 € (NOVE-MIL-SETECENTOS-E-DEZ-MILHÕES-DE-EUROS)


CASO BPN: ESCÂNDALO E IMPUNIDADE
A burla cometida no BPN não tem precedentes na história de Portugal !!!

O montante do desvio atribuído a Oliveira e Costa, Luís Caprichoso, Francisco Sanches e Vaz Mascarenhas é algo de tão elevado, que só a sua comparação com coisas palpáveis nos pode dar uma ideia da sua grandeza.

Com 9.710.539.940,09 € (NOVE MIL SETECENTOS E DEZ MILHÕES DE EUROS.....) poderíamos:
Comprar 48 aviões Airbus A380 (o maior avião comercial do mundo).
Comprar 16 plantéis de futebol iguais ao do Real Madrid.
Construir 7 TGV de Lisboa a Gaia.
Construir 5 pontes para travessia do Tejo.
Construir 3 aeroportos como o de Alcochete.
Para transportar os 9,7 MIL MILHÕES DE EUROS seriam necessárias 4.850 carrinhas de transporte de valores!

Assim, talvez já se perceba melhor o que está em causa.

Distribuído pelos 10 milhões de portugueses,
caberia a cada um cerca de 971 € !!!

Então e os Dias Loureiro e os Arlindos de Carvalho onde andam?!
E que tamanho deveria ter a prisão para albergar esta gente?!


Pequenina, mesmo muito piquenina, tipo gaiola de galinaceos










Xuxa
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Democracia da têta, digo, da treta

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum